EM PIRACICABA (SP) 03 DE DEZEMBRO DE 2019

Professor da Esalq que criou o termo 'agrotóxicos' será homenageado

Moção de aplausos foi aprovada na noite desta segunda-feira (2), na 72ª reunião ordinária




Toque na imagem para aumentar

Adilson D. Paschoal é autor do livro Pragas, agrotóxicos e a crise ambiente – problemas e soluções

Crédito: Fabrice Desmonts - MTB 22.946

De autoria dos vereadores Carlos Gomes da Silva, o Capitão Gomes (PP), Nancy Thame (PSDB) e Pedro Kawai (PSDB), a moção de aplausos 225/2019 foi aprovada na noite desta segunda-feira (2), na 72ª reunião ordinária. Por meio da propositura, os parlamentares homenagearão o professor Adilson D. Paschoal pelo lançamento do livro Pragas, agrotóxicos e a crise ambiente – problemas e soluções.

No texto da propositura, os parlamentares citam a edição de 22 de novembro do jornal O Estado de São Paulo, sobre o homenageado, que também é titular da disciplina de Agroecologia e Agricultura Orgânica, da Esalq/Usp (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo).

Segundo os parlamentares, como citado em O Estadão, Paschoal discorre sobre como os ecossistemas funcionam, como os agrotóxicos atuam no ambiente e explica, cientificamente, a razão para o exponencial aumento do número de pragas depois que os venenos passaram a ser usados em larga escala no campo.

A primeira edição da obra foi publicada há 40 anos e o termo “agrotóxico” foi cunhado pelo professor Paschoal há 42 anos, para definir os produtos químicos utilizados no combate aos diversos tipos de pragas que atingem a agricultura.

“Um dos aspectos importantes do livro do professor Paschoal é que ele acredita que o agrotóxico está fadado a uma ineficiência cada vez maior, pela capacidade imensa de adaptação dos insetos e sua habilidade em criar resistência cada vez maior aos venenos agrícolas. Ele afirma que o Brasil figura entre os principais consumidores de agrotóxicos do mundo”, contam os vereadores.

Pachoal também defende a agroecologia, que fundamentalmente preserva os inimigos naturais das pragas e não os elimina, como fazem os agrotóxicos e, com isso, os danos se acentuam. Ele defende uma “virada de chave” nos sistemas agrícolas, em favor dessa biodiversidade, dizendo que qualquer sistema biodiverso é sustentável e estável.

Legislativo Carlos Gomes da Silva Pedro Kawai Nancy Thame

Texto:  Ana Caroline Lopes
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583

Notícias relacionadas