EM PIRACICABA (SP) 13 DE AGOSTO DE 2019

Ações sustentáveis de empresas são destacadas em palestra

Produção de etanol de segunda geração pela usina Costa Pinto da Raízen foi usada como exemplo de ação voltada à sustentabilidade.




Toque na imagem para aumentar

Segundo encontro do curso trouxe casos de empresas com ações voltadas à sustentabilidade

Crédito: Fabrice Desmonts - MTB 22.946

A produção de etanol de segunda geração, ou 2G, pela usina Costa Pinto da Raízen, em Piracicaba, foi destacada pela consultora Taís Lacerda no segundo encontro do curso sobre sustentabilidade e práticas ambientais nas empresas, que ocorreu na tarde desta terça-feira (13), na Escola do Legislativo, na Câmara de Vereadores de Piracicaba.

A consultora apresentou casos de empresas que investem em ações de sustentabilidade e, entre elas, apontou a técnica utilizada pela Raízen, que integra o bagaço da cana-de-açúcar na criação do etanol, o que contribui para aumentar em 50% a produção, de forma sustentável.

Taís Lacerda listou ações de sustentabilidade de empresas signatárias do Pacto Global e de empresas que se destacaram no Guia Exame de Sustentabilidade 2017-2018, entre elas, a Raízen. Entre as ações apontadas, destacam-se a diminuição ou reutilização de recursos naturais, programas de capacitação de jovens aprendizes, fortalecimento de comunidades ribeirinhas e a redução de impactos ao meio ambiente.

A palestrante também abordou atitudes sustentáveis que podem ser desenvolvidas por micros e pequenas empresas, de acordo com material produzido pelo Sebrae. A utilização de logística reversa, isto é, a reutilização de materiais, e a substituição ou diminuição de recursos naturais estão entre os tópicos de destaque na promoção da sustentabilidade.

Taís Lacerda chamou a atenção para as ações da Natura, que destacou-se em 2019 por estar alinhada com os objetivos de desenvolvimento de sustentabilidade. A consultora contou a história da empresa desde a fundação até os dias atuais e falou sobre a implantação do Ecoparque da Natura, o qual auxilia na fomentação da cadeia produtiva sustentável da Amazônia e em pesquisas e inovações aplicadas na cadeia de valor. 

A Natura destina 90% de seu ecoparque em Belém (PA) a empresas que pretendem ingressar na área de cosméticos naturais por meio de ações ecologicamente corretas. Além disso, foi a primeira empresa a implementar o uso de refil, baniu o teste de produtos em animais e conta com projetos sociais voltados, principalmente, à comunidade ribeirinha.

Ana Cláudia Sforsin, gerente de marketing, se inscreveu na palestra para, principalmente, descobrir ações de redução do uso de papel, um dos problemas que mais afetam a rede varejista, segundo ela. "A gente sai daqui com um entendimento muito maior, com a percepção macro da sustentabilidade e dos recursos que podemos utilizar", comentou.

Escola do Legislativo

Texto:  Larissa Souza
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Ricardo Vasques - MTB 49.918

Notícias relacionadas