EM PIRACICABA (SP) 14 DE MAIO DE 2021

Câmara analisará veto à criação do 'Sistema de Facilitação Tributária'

Projeto de lei complementar 1/2021, do presidente Gilmar Rotta (Cidadania), recebeu “veto total” do prefeito e será votado nesta segunda-feira (17).




Toque na imagem para aumentar



A Câmara Municipal de Piracicaba votará, segunda-feira (17), o “veto total” do prefeito Luciano Almeida (Democratas) ao projeto de lei complementar 1/2021, de autoria do presidente do Legislativo, Gilmar Rotta (Cidadania), que cria incentivos fiscais aos comerciantes durante a pandemia. A 15ª reunião extraordinária começará às 16h e a Pauta da Ordem ainda poderá receber novas proposituras. 

Aprovado em dois turnos no dia 25 de março deste ano, o PLC 1/2021 altera a Lei Complementar 224/2008, o Código Tributário do Município, ao acrescentar o artigo 486A no Capítulo IV, o qual trata “Do período de pandemia e calamidade pública”. Este dispositivo cria o que ficou denominado como “Sistema de Facilitação Tributária”, pelo qual a Prefeitura permite às pessoas físicas e jurídicas optantes pelo Simples Nacional o parcelamento especial de valores dos impostos, tarifas e taxas municipais. 

Na ocasião da votação do PLC, o presidente da Câmara enfatizou a busca por uma saída a quem está sofrendo com as medidas de restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus. “Chega de simplesmente fechar o comércio, que está sofrendo há mais de um ano, embora o poder público esteja dando toda assistência na área da saúde, agora tem que ajudar na parte da economia”, disse Rotta.

Mesmo com a aprovação, o Executivo decidiu pelo “veto total”, que agora deverá ser apreciado pelo plenário da Câmara, justificando a decisão pelo risco de “total de desequilíbrio” das contas públicas “contraria ao interesse público”, já que, ainda segundo o texto assinado pelo prefeito, anexo ao PLC, “a falência da prestação dos serviços públicos essenciais não pode ser de interesse de toda coletividade”. 

A Prefeitura argumenta ainda que, caso o contribuinte deixe de pagar os impostos por seis meses a partir de maio de 2021, retomando somente parcelado a partir de novembro, o impacto financeiro no período de maio a outubro poder chegar a R$ 314,8 milhões, “impactando fortemente no custeio das despesas constitucionais com Educação e Saúde, afetando o pagamento de servidores da Prefeitura”.

Por conta das medidas de restrições para conter a contaminação pelo novo coronavírus, a reunião extraordinária acontece em SDR (sistema de deliberação remota), em que apenas o presidente da Câmara permanece no plenário Francisco Antonio Coelho e os vereadores acompanham de suas casas ou gabinetes. 

A população pode acompanhar os trabalhos legislativos pela TV Câmara, no canal 11.3 em TV aberta (sinal digital), 4 da Claro/Net e 9 da Vivo, com retransmissão pelos canais oficiais nas mídias sociais, Facebook e Youtube. A Rádio Câmara Web e a Rádio Educativa 105,9 FM também transmitem, ao vivo.

Finanças e Orçamento Emprego e Renda Legislativo Coronavírus André Bandeira Ary Pedroso Jr Laércio Trevisan Jr Gilmar Rotta Paulo Camolesi Paulo Campos Pedro Kawai Rerlison Rezende Aldisa Marques Wagner Oliveira Zezinho Pereira Cassio Luiz Alessandra Bellucci Acácio Godoy Ana Pavão Josef Borges Thiago Ribeiro Gustavo Pompeo Rai de Almeida Anilton Rissato Fabricio Polezi Silvia Maria Morales Sergio da Van

Texto:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343

Notícias relacionadas