EM PIRACICABA (SP) 04 DE NOVEMBRO DE 2022

Com exposições e documentário, cápsula do tempo será aberta ao público

Parceria entre Escola Sud Mennucci, Museu Prudente de Moraes e Câmara Municipal possibilitará exposições física e virtual




Toque na imagem para aumentar

Mostra paralela reúne fotografias de Davi Negri

Crédito: Davi Negri - MTB 20.499



Cem anos depois, os objetos da cápsula do tempo da Escola Estadual Sud Mennucci finalmente serão colocados à exposição para o público, no aniversário da Proclamação da República, 15 de novembro, no Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes. A programação das atividades envolve as duas instituições e a Câmara Municipal de Piracicaba, responsável por uma exposição paralela, com fotos atuais do prédio da escola, que virou a protagonista de um enredo centenário e emocionante. Um documentário sobre a abertura da cápsula, produzido pelo Departamento de Comunicação Social da Casa, também será lançado na data.

Conforme estabelecido pelos integrantes da então Escola Normal, em 1922, a cápsula do tempo foi aberta no último dia 7 de setembro, 100 anos após ter sido encerrada em uma parede do prédio da escola. Na caixa de cobre, foram guardados cartas, fotografias, desenhos, moedas, selos, postais, mapas, materiais escolares e jornais da época, com um total de 629 itens. A curiosidade a respeito das mensagens deixadas pelo passado garantiu uma repercussão nacional para a história.

O acervo foi colocado sob a guarda do museu, que organizou a exposição de parte dos objetos por meio de uma curadoria coletiva. Através de um termo de cooperação técnica entre o museu e a Câmara Municipal de Piracicaba, todos os 629 itens encontrados na cápsula ficarão à disposição permanente do público, a partir de 15 de novembro, em uma mostra virtual na plataforma Atom, sistema arquivístico utilizado pelo Setor de Gestão de Documentação e Arquivo da Casa.

Intitulada "Cápsula do Tempo - Mistérios Revelados", a exposição dos objetos da cápsula poderá ser vista presencialmente no Museu Prudente de Moraes até o dia 28 de janeiro, de terça-feira à sexta-feira, das 9h às 17h; sábados e feriados, das 10h às 14h. No mesmo período, permanece em cartaz a exposição fotográfica "O Tempo e a História", produzida pelo repórter fotográfico Davi Negri, do Departamento de Comunicação Social da Câmara, com imagens atuais do prédio da Escola Sud Mennucci.

Segundo o chefe do Departamento de Comunicação Social da Câmara, Rodrigo Alves, o projeto como um todo demandou um amplo esforço das três entidades envolvidas. "De um lado, temos o Museu Prudente, hoje responsável pela guarda e conservação dos itens físicos da cápsula; do outro, a Câmara Municipal, que ofereceu sua estrutura para disponibilizar todo o conteúdo à população na internet e meios de comunicação. E, tão importante quanto, a comunidade escolar, totalmente engajada com o projeto", declara.

A ESCOLA – O documentário produzido pelo departamento da Casa, com imagens de Bira Toledo e Gustavo Annunciato e reportagem de Aline Macário, relata eventos como a expectativa para abertura da cápsula do tempo, que permeou o imaginário dos integrantes da comunidade escolar por muitas décadas.

A diretora da Escola Estadual Sud Mennucci, Márcia Aparecida Lima Vieira, conta que ela mesma, como ex-aluna da unidade, há mais de 30 anos já esperava por esse momento. Em 2020, quando ela assumiu a direção da escola, uma das primeiras coisas que pensou foi que faltava pouco tempo para a abertura da cápsula.

O momento também foi peculiar para a comunidade, já que a escola enfrentou a adaptação dos estudantes no pós-pandemia, depois de dois anos sem uma frequência escolar regular. “A abertura da cápsula foi uma grande oportunidade de os alunos estabelecerem um vínculo com a escola”, salientou. “Fez com que todos os alunos, professores e a comunidade se envolvessem.”

Dessa forma, desde o início do ano, foi realizado um projeto interdisciplinar, com o desenvolvimento do assunto. Os alunos realizaram trabalhos de pesquisa sobre as questões comportamentais da década de 20, as roupas e objetos que eram utilizados, encenaram teatro com temática da época, estudaram a Semana de Arte Moderna, realizada no mesmo ano em que os objetos foram guardados, avaliaram os avanços tecnológicos desde então nas aulas de ciências. Foi realizado até mesmo um concurso para escolha do mascote da cápsula do tempo.

As atividades relacionadas ao projeto ultrapassaram os limites da escola, através da atuação de um grupo de pessoas ligadas à comunidade escolar, como ex-alunos, ex-funcionários, ex-professores, ex-diretores, entre outros. O grupo ajudou na elaboração da programação da abertura da cápsula e também se envolveu nos trabalhos diretamente com os alunos. Foi dessa forma que o hino da escola, que estava esquecido, foi resgatado, através de aulas ministradas por uma ex-aluna, atualmente com 90 anos de idade, que ajudou os estudantes a ensaiarem a letra.

EXPECTATIVA – Apesar de todo o tempo de preparação, o mistério em relação ao que seria encontrado na cápsula não se encerrou com a abertura dela, em 7 de setembro. Foi necessário um período de descontaminação, higienização e preparação do material, tanto para a exposição física quanto para a virtual, que começarão no próximo dia 15 de novembro.

O Setor de Gestão de Documentação e Arquivo da Câmara vai promover um trabalho de formação com os estudantes na próxima terça-feira (8), para que eles possam conhecer e se familiarizar com o sistema Atom, onde será disponibilizada a exposição virtual.

Nas coleções de objetos guardados em 1922, estão cartas pessoais dos alunos e professores da época para a comunidade escolar atual. O destaque é para o trabalho de Português assinado pela então aluna Zoraide Moraes Barros, em que ela relata como os jornais da época retratavam as comemorações do centenário da independência do Brasil. Ela descreve os festejos realizados na praça da Vila Rezende, onde foram erguidas várias barracas e que recursos obtidos com a venda de doces, alimentos, bebidas, flores, prendas e jogos foram direcionados para a construção de um dos prédios da Santa Casa de Piracicaba.

“Quando o futuro povo piracicabano perguntar curioso: ‘Que fez Piracicaba para comemorar o centenário? (...) Piracicaba, na verdade, não erigiu monumentos, é certo, mas fez uma cousa muito superior a monumentos: esse hospital que abriga diariamente dezenas de pobres doentes que ahi vêm buscar um lenitivo par os seus males. Haverá fim mais nobre do que este?”.

Além das cartas, foram encontrados inúmeros outros trabalhos de alunos, entre eles traços de algumas personalidades históricas, como Arquimedes Dutra, que deixou o desenho de um crânio produzido na aula de Zoologia, feito com nanquim.

NOVA CÁPSULA – O desafio agora, segundo a diretora da escola, é o encerramento da nova cápsula do tempo, que acontecerá em 3 de dezembro. Os alunos participam atualmente de uma enquete, que vai definir por quanto tempo a cápsula ficará guardada – 50 ou 100 anos – e também quais objetos serão arquivados. O espaço escolhido para presentear o futuro é a mesma parede de onde foi retirada a cápsula de 1922.

“Isso tudo é importante para os alunos se perceberem como seres históricos, sociais e para observarem a sociedade em movimento”, ponderou a diretora. “Eles puderam ver como as perspectivas mudaram, o quanto somos frutos de uma história e quanto fazemos história, esse é o maior legado, além de ser uma demonstração da importância da preservação”.

SERVIÇO – Exposição Cápsula do Tempo - Mistérios Revelados. De 15 de novembro a 28 de janeiro. Visitas de terça-feira à sexta-feira, das 9h às 17h; sábados e feriados, das 10h às 14h, no Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes (rua Santo Antonio, 641, Centro). Entrada gratuita. Exposição virtual dos objetos: a partir de 15 de novembro, no sistema Atom da Câmara. Documentário sobre a cápsula do tempo: disponível a partir do dia 15, no site oficial da Câmara e nas redes sociais (Facebook e Instagram).

Câmara Documentação

Texto:  Aline Macário - MTB - 39.904
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583

Notícias relacionadas